segunda-feira, 11 de setembro de 2017

[CONVITE] Exposição de artes de Danielle Barros IV Sacerdotisa durante o VI Encontro de Biologia & II Encontro de Ex-alunos na UNEB, saiba mais:

O VI Encontro de Biologia & II Encontro de Ex-alunos acontece de 12 a 14 de setembro no campus X da UNEB, em Teixeira de Freitas, BA, e em sua programação contará com apresentações orais, mesas redondas, mini cursos, exposição de artistas, entre outros (confira a programação no site http://www.biologia10.com/).
Convido a todos e todas a visitarem a partir das 16:30 minha mesa onde estarei expondo minhas artes diariamente com elementos da natureza, ilustrações e muita poesia: colares, brincos, anéis, marcadores de livro, fanzines poéticos, e muito mais!
Espero vocês lá! Confira uma amostra do que levarei:




























PARTICIPE!

O Encontro de Biologia da Universidade do Estado da Bahia - Campus X, é um evento acadêmico, científico e cultural que visa reunir os estudantes e os profissionais da Biologia, Educação e áreas afins. Tem como objetivo discutir assuntos relacionados à área biológica e educacional, bem como incentivar a produção de trabalhos científicos e promover uma maior interação entre acadêmicos e pesquisadores dessas áreas.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Criar Cura fanzine de Danielle Barros IV Sacerdotisa em versão digital - leia e compartilhe!

Completando um ano do lançamento de Criar Cura, e mais um ciclo de vida, disponibilizo a todos esse fanzine tão querido para leitura on line!

Sobre o fanzine, o texto do lançamento:
"Este zine foi inteiramente criado no dia 31 de agosto de 2016 como um ato mágico criativo para vivenciar a passagem de mais um ciclo de aniversário. No dia 31 de agosto acordei cedo e aproveitei o dia inteiro fazendo coisas que eu gosto, desenhando, lendo, fazendo coisas do doutorado, em contato com a natureza, família e pessoas especiais. O Ciberpajé desafiou-me, sugeriu que eu criasse um zine inteiro nesse dia e eis aqui o resultado!
Decidi colocar o nome do zine de “Criar Cura”, pois me lembrei de uma conversa em que eu explicava a alguém que o ato de criar fazia com que eu amasse minhas criações incondicionalmente e isso era uma forma de amar a mim mesma. Cada criação minha, mesmo com todas as limitações, são como filhas lançadas ao mundo, e pouco importa se elas são “perfeitas” ou não aos olhos dos outros, para mim elas são pura perfeição pois, mais importante do que a arte finalizada em si, é o ato criativo que importa. Como diz o Ciberpajé, “o ato criativo é um ato curativo”. Então, o caminho que tenho seguido para o autoconhecimento e o amor próprio é o caminho da criação!
Espero que gostem.
Danielle Barros IV Sacerdotisa 
Criar Cura, A5, 8 páginas preto e branco, zine poético filosófico."

Postagem do lançamento aqui

Veja o vídeo e postagem sobre o lançamento de Criar Cura em Goiânia aqui

Leia a resenha do querido Henrique Magalhães sobre Criar Cura aqui

AGORA APRECIE ESTE FANZINE QUE EU AMO, no Issuu, espero que gostem:


Todos os direitos reservados. Fanzine registrado no Escritório de Direitos Autorais na Fundação Bibilioteca Nacional, RJ. Uso de imagens e textos somente mediante citação de autoria de Danielle Barros. Contato com a autora: danbiologa@gmail.com

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Defesa de doutorado: Pesquisa na Fiocruz mapeou materiais educativos impressos no Instituto Oswaldo Cruz e desenvolveu método de avaliação inovador utilizando quadrinhos e fanzines

A tese de doutorado intitulada "Prospecção de materiais educativos impressos sobre saúde no Instituto Oswaldo Cruz e desenvolvimento de metodologia para avaliação de materiais através de oficinas criativas de fanzines e quadrinhos" de autoria de Danielle Barros Silva Fortuna com orientação do Dr. Paulo Roberto Vasconcellos Silva e Drª Tania Araújo-Jorge do Programa de Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde foi defendida dia 11/08/2017 no Instituto Oswaldo Cruz. A banca examinadora foi composta por Dr. Edgar Franco (UFG), Drª Claudia Souza (Fiocruz), Drª Grazielle Pereira (IFRJ), com suplência de Drª Claudia Coutinho (Fiocruz), Drª Valéria Trajano (Fiocruz) e Dr. Gazy Andraus (UEMG). A pesquisa teve o apoio da CAPES/Plano Brasil sem Miséria.

Uma foto minha no castelo Mourisco, Fiocruz

A TESE


No âmbito do ensino e da saúde, em que coexistem abordagens dialógicas e transmissionais, a produção de materiais educativos impressos (MEI) tem sido considerada pertinente, de modo que os aspectos relacionados às etapas de seu desenvolvimento, uso e apropriação pelos públicos constituem-se enfoques de estudos recentes. 
O Instituto Oswaldo Cruz (IOC), unidade técnico científica da Fiocruz possui laboratórios de pesquisa onde, em parte deles, são produzidos MEI que circulam e são utilizados em ações educativas da Fiocruz e do Ministério da Saúde em todo país. Contudo, os estudos sobre as condições de produção que permitam conhecer as lógicas, motivações e dificuldades de elaboração de materiais são escassos. Prospecções de MEI elaborados no IOC ainda são incipientes, havendo dispersão de informações sobre seus formatos, tipos, linguagens, públicos e temáticas. Os estudos de avaliação dos MEI são pontuais e boa parte com enfoques cognitivistas. 
O objetivo geral da pesquisa de doutorado consistiu em desenvolver prospecção de materiais educativos impressos (MEI) elaborados nos laboratórios do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), na Fundação Oswaldo Cruz, investigando suas condições de produção a partir de entrevistas com elaboradores; como base para o desenvolvimento de avaliação experimental que envolveu aspectos subjetivos - e não apenas cognitivos, - através de oficinas dialógicas criativas articulando ciência e arte, com a linguagem dos quadrinhos e dos fanzines. O resultado da prospecção identificou que 38 dos 72 laboratórios do IOC, ou seja, mais da metade, elaboraram MEI.
O mapeamento reuniu 60 MEI, analisados quanto ao formato, data, autoria, temas, entre outros, permitindo montar uma sistemática por tipos. As entrevistas com 12 pesquisadores do IOC revelaram as motivações que envolvem desde as demandas profissionais e as de cunho pessoal, como os MEI são feitos, onde circulam, as estratégias de fomento, as dúvidas existentes sobre registro de direitos autorais, a dificuldade de comunicação com o público, as formas de avaliação que tem sido utilizadas, as inspirações conceituais e criativas, além de aspectos institucionais e emocionais que envolvem a prática. As oficinas, no total de três, envolveram 38 participantes entre docentes, discentes e profissionais de saúde/ensino em três instituições públicas de ensino nos estados RJ, BA e ES, foram espaços dialógicos voltados a captar as percepções do público acerca de 9 MEI do IOC, em um processo avaliativo através do ato criativo que resultaram na criação de 18 materiais educativos pelos participantes.
Os desdobramentos da pesquisa envolveram a geração de produtos em MEI registrados na Biblioteca Nacional; o mapeamento de MEI do IOC; a proposta de metodológica de avaliação de MEI; e o desenvolvimento de investigação acadêmica com vistas a agregar conhecimento à área de estudos em ciências e saúde, objetivos que diante dos resultados, foram cumpridos.

DEFESA

A tese foi muito elogiada, aprovada sem restrições e com louvor! Agradeço à banca que me acompanha desde Seminários Discentes, qualificação e agora na defesa. Enfim, doutora em Ciências!

Confira algumas fotos deste dia tão especial (enviadas pelo Ciberpajé Edgar Franco e profª Claudia Coutinho):

Defesa de doutorado de Danielle Barros

Defesa de doutorado de Danielle Barros

Defesa de doutorado de Danielle Barros

Defesa de doutorado de Danielle Barros

Defesa de doutorado de Danielle Barros

Defesa de doutorado de Danielle Barros

Defesa de doutorado de Danielle Barros

Defesa de doutorado de Danielle Barros - considerações da banca

Defesa de doutorado de Danielle Barros - considerações da banca

Defesa de doutorado de Danielle Barros - considerações da banca

 Momento da leitura da ata de Defesa do doutorado

Momento da leitura da ata: APROVADA, DOUTORA EM CIÊNCIAS!

Defesa de doutorado de Danielle Barros, foto com a banca examinadora e meus orientadores
 Dr. Edgar Franco (UFG), Drª Claudia Souza (Fiocruz), Drª Grazielle Pereira (IFRJ), com suplência de Drª Claudia Coutinho (Fiocruz)

Pose acadêmica! - com  Dr. Edgar Franco (UFG), Drª Claudia Souza (Fiocruz), Drª Grazielle Pereira (IFRJ), com suplência de Drª Claudia Coutinho (Fiocruz)

Pose acadêmica com aleluia! - com  Dr. Edgar Franco (UFG), Drª Claudia Souza (Fiocruz), Drª Grazielle Pereira (IFRJ), com suplência de Drª Claudia Coutinho (Fiocruz)



Eu e meus queridos orientadores Paulo Roberto e Tania Araújo-Jorge

Com a querida Claudia Coutinho


Dedico o trabalho a eles: Minha família

Dedico o trabalho a eles: Minha família
Meu agradecimento aos participantes das oficinas 

Com os ituitubanos, profª Claudia e prof .Edgar, só faltou o Gazy para completar

A frase que representa meu momento e retorno à arte

 Com o Ciberpajé e a pose acadêmica!

Lanche para quem esteve presente: sucos, bolo, torradas, geleia, biscoitos, água e muito carinho

A agenda científica da semana com minha defesa =)

Para fechar o post, um pouco mais de irreverência.... 
362 páginas: Essa tese ficou um TESÃO! Kkkkkk


Sou grata pela conclusão desta etapa em minha vida. E vida que segue! 
Em breve a tese estará disponível para download no Repositório da Fiocruz e outros sites.

Veja também: A defesa de doutorado foi notícia na página da Associação Nacional de Pesquisadores em Arte Sequencial, confira!