segunda-feira, 24 de abril de 2017

Comentários sobre a entrevista concedida pelo Ciberpajé Edgar Franco à Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte de Goiás

Hoje pela manhã ouvi a entrevista sobre Quadrinhos & Arte concedida pelo Ciberpajé à SEDUCE - Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte de Goiás, para o programa SeduceCast.
Eu adoro ler/ouvir/assistir as palestras, vídeos, entrevistas e podcasts com o Ciberpajé Edgar Franco, são sempre fluidas como conversas conosco, a voz e oratória são hipnotizantes. Sou suspeita, pois além de ser fã, adoro o tema e mesmo tendo ouvido/lido e visto a tantas, sempre tem algo novo a aprender! Essa entrevista está divertida e informativa, vai falando das influências primordiais da arte e dos quadrinhos na vida do artista, fala de mercado, quadrinho autoral, fanzines, aspectos históricos dos quadrinhos, seus elementos, processos criativos experimentais, pesquisas acadêmicas sobre HQs, da cena de quadrinhos em Goiás e no Brasil, eventos, as criações transmídia de Franco que envolvem quadrinhos, cita alguns autores/as, fala de algumas de suas obras, sobre os estereótipos que as HQs sofrem como uma mídia "menor", do potencial da arte para a transcendência, sobre ser Ciberpajé, enfim, um panorama amplo - mas não exaustivo - sobre quadrinhos, criação, pesquisa, arte e vida. As dicas ao final (para quem quer entrar no mundo dos quadrinhos) são muito importantes e belas, transcrevi um trecho, são elas...

"Primeira coisa, em qualquer universo que você está entrando, hoje, nesse mundo hiperinformacional é você se auto conhecer. Então, olhar para aquilo que você realmente gosta. E não importa o que você gosta! Você pode chegar para mim e dizer: eu gosto de mangá, eu quero desenhar mangá, quero aprender, me aprofundar (...) PERFEITO, seja sincero consigo mesmo com aquilo que te apaixona como forma de expressão e mergulhe nessa forma de expressão, em que sentido? Primeiro, FAÇA MUITO, da quantidade surge a qualidade. Não tenha medo de ERRAR na hora de criar o seu trabalho, erre, erre muito, que é dos erros que vão aparecer os acertos! Eu vejo muito, às vezes, o jovem querendo começar a primeira história em quadrinhos e acertar...e as coisas acontecerem, não vão acontecer. Outra coisa, não fique bitolado só no universo da arte que você quer desenvolver, porque você vai ser um reprodutor de pensamento. Todo artista tem que ter o pé em todas as artes: vá ao teatro, vá muito ao cinema e não só o cinema mainstream comercial, encare o cinema de artista, autoral, aquele que você está achando meio chato, encare, aquilo tem coisa para te ensinar em matéria de linguagem, não leia só o mangá que você gosta, mesmo que você vá fazer mangá, leia todas as formas de quadrinhos que existem. Envolva-se em todas as formas de artes que você vai deixar de ficar bitolado só naquele segmento e só reproduzir aquele segmento, reproduzir aquilo que você já leu. (...) Então se você quer trabalhar com quadrinhos, seja cultural na sua fruição de mundo da arte (...) uma visão ampla de cultura, assim você vai criando novas conexões neuronais, a coisa vai mudando na sua cabeça, você vai criando algo depois que não seja só derivativo, esse é o ponto fundamental: Fazer muito, ter a cabeça aberta para experimentar todas as mídias, estudar bastante, não ter medo de fazer, não ter medo da crítica, e finalmente, não ouvir as críticas das pessoas, só de quem te ama de verdade (...) "
(Edgar Franco Ciberpajé)

Recomendo muito a educadores e artistas! E a SEDUCE ainda disponibiliza o podcast para download!

Ouça o podcast na íntegra no link:


Captura de tela do site SEDUCE