sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Fanzines do Léo da Heresia!!

 Zines que recebi do Léo da Heresia!!


Este é o H[A]CkistenZine, é um zine sobre compartilhamento livre, sobre o uso genuíno da tecnologia - de forma livre, consciente, autônoma,de forma compartilhada, colaborativa, visando facilitar nossa vida e das outras pessoas. é um zine que instiga a reflexão para pensarmos o uso da tecnologia, sobre questões importantes como privacidade, informa algumas estratégias para prevenir espionagem, invasão e rastreamento das máquinas, como o PC. Quando abrimos o zine, ele mostra um manifesto contra o PRISM, programa de vigilância da NSA.
É um zine poético e informativo com estética underground, ou seja, com a liberdade artística que o Léo criou, e digo informativo porque embora eu já soubesse das questões sobre a falta de segurança dos nossos dados pessoais na web, o zine me instigou a ir pesquisar mais sobre o PRISM - e indico que vocês façam suas pesquisas também (comecei no básico aqui aqui e aqui )
É um assunto sério e que atinge a todos. Não basta "saber" é importante disseminar a informação e tomar precauções para dificultar que acessem nossas informações. O zine também tem a participação do Ciberpajé, um conto com ares ficcional, mas com o pé fincado na realidade que já vivemos.


Além deste zine, tem 6 edições do "Ruínas em Ruídos" "Ruídos em Ruínas", eu achei interessante, tem o número 00; n 01; n 1,5; n 1/2; n 02; n 2,5! Como descrito, um zine sobre "audio-video experimental", é uma folha A4 dobrada, páginas A6, e quando abrimos, em cada número tem uma arte linda na página aberta. Excelente a qualidade da impressão.
Sem querer tirar a surpresa da/ o leitor/a, tenho que comentar que ler os zines do Léo é um mergulho, eu me senti refletindo sobre minha vida, "sobre vivência", experimentalismos, deseducar-me dos caminhos já conhecidos, adestrados, ensaiados. Sobre a coragem de Ser, autoral, "do faça você mesmo", de ser inventiva nesse mundo repleto de cópias (esses pensamentos vieram da leitura das respostas do Oziel no n.00). 
No n 01, puder pensar sobre minha condição mutante, de recriação e criação. Lendo as falas da Karla. Pensei em quem sou a partir do "quem não sou" e do "vir a ser" eterno. 
No n 1,5 o Léo fala sobre ser o experimento, experimentar é ser o ato em si. Algo que ele faz muito bem em suas criações multimídias! A meu ver, muito das baladas em sua maioria, são o replicações do grande 'circo' vazio da indústria cultural, e não tem nada de libertário, porém as baladas espontâneas e sem a assepsia dos "camarotes vips", essas sim são experimentAÇÕES!!
O n 1/2 trata sobre o Atari punk console, creio que versa sobre as aventuras do Léo utilizando esse recurso de forma experimental em suas criações!
O n 02 traz a visão do Guto e da Camila sobre o significado da música/vídeo na vida como uma existência experimental, achei bem viscerais; e traz uma montagem satírica do "capitão do mato universitário", com diversos links e simbologias de certos "tipos" que conhecemos, genial!!!
O n 2,5 é forte, traz "Guerrilha de autor" e alguns tópicos sobre sermos revolucionários, tocando em temas que muitos evitam como "a felicidade do consumismo"; ter coragem de ser autor (experimentalismo é isso, ser você mesmo); de ser político - o que não significa ser partidário; pensar e agir para uma mudança na sociedade; e da urgência que a sociedade precisa de sair da conformidade medíocre em que a maioria vive, e sequer percebe.
É isso e muito mais! 
Espero não ter feito leituras equivocadas, porém assim são os textos, vídeos, músicas, e outras formas de arte, discurso, quando alguém lê, novos sentidos são atribuídos em uma semiose infinita, diria Verón! 
Em síntese só me resta recomendar MUITO os zines do Léo, pois conseguem ao mesmo tempo ter profundidade e síntese; ser informativo e poético; sério e também engraçado!
Gostei demais e agradeço os presentes! É sempre uma alegria ter contato com criações genuínas desse nosso mundo underground, de liberdade criativa!
Confiram mais imagens dos zines do Léo:




Por fim, fui pegar os dados de contato no zine para repassar a você e eis em que me deparo:

"Sem blog 
KEEP HACKING
nem e-mail" 
hahahaha

Mas quem quiser achar o Léo da Heresia, este é o contato no FACEBOOK